sexta-feira, 1 de março de 2024

CARTA DE CONVOCAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL 2024

  

PAROQUIA SANTA RITA DE CASSIA E SÃO FRANCISCO DE ASSIS

DIOCESE DE VIANA-MA

Rua da Liberdade, S/N.CEP 65393-000

CNPJ: 63.402.069/0001-61

 CARTA DE CONVOCAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL 2024

 Querido paroquiano(a),     

            É com muita alegria que convocamos as nossas lideranças para a nossa Assembleia Paroquial para os próximos dias 02 de março a partir das 08h00 até às 12h00 do dia 03 de março.

            Nossa assembleia terá como tema:  A INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ É MISSÃO DE TODOS NÓS – “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos...Mt 28,19).

            A participação de cada um em nossa assembleia é muito importante, pois será um momento de avaliação e de preparação de nossas ações para o ano em curso, além da nossa interação. Os delegados das comunidades: coordenador, vice, agente do Dízimo, catequista, e uma pessoa da liturgia). As pastorais e grupos 02(duas) pessoas: coordenador e vice. A colaboração por pessoa para as despesas da nossa assembleia será no valor de R$20,00 a inscrição.

            De já agradecemos e contamos com as vossas presenças para continuarmos unidos na missão.

 

Pe. Nelcino Leocádio

Pároco

Conselho de Pastoral 
Leia Mais ››

terça-feira, 13 de fevereiro de 2024

PROGRAMAÇÃO DA QUARTA-FEIRA DE CINZAS NA PARÓQUIA SANTA RITA DE CÁSSIA


Quaresma
Oração - Jejum - Caridade
Eis o tempo de conversão,
Eis o tempo de Salvação!


Acompanhe e participe da programação da quarta-feira de Cinzas na Paróquia Santa Rita de Cássia e São Francisco de Assis em Buriticupu:

Às 08h00 da manhã: Comunidade São José de Ribamar, em frente ao Mateus;

Às 16h30: Comunidade São Francisco Xavier na Sagrima;

Às 19h00: Igreja Matriz Santa Rita de Cássia 

Fonte: Pascom paroquial
Leia Mais ››

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2024

A IGREJA DO BRASIL ACOLHE DOM RINO FISICHELLA NO ENCONTRO NACIONAL DE PREPARAÇÃO DO JUBILEU 2025


Dom Rino Fisichella na Casa Dom Luciano, em Brasília (Foto: Osnilda Lima – Comunicação do Encontro “Preparando o Jubileu 2025”)

A presença de dom Rino Fisichella em Brasília é um sinal de motivação para a Igreja no Brasil nesta preparação para o Jubileu 2025, afirmou o núncio apostólico dom Giambattista Diquattro, também presente no encontro realizado nos dias 29 e 30 de janeiro.

Rosa Martins – Vatican News

O pró-prefeito do Dicastério para a Evangelização dos povos e coordenador do Jubileu 2025, dom Rino Fisichella, se reuniu nos últimos dias 29 e 30, na Casa Dom Luciano, em Brasília, com cerca de 300 fiéis representantes dos regionais da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para o Encontro Nacional de preparação ao Jubileu 2025.

Como convidado especial para assessorar o encontro, dom Rino se disse agradecido à “presidência da Conferência Episcopal, por ter organizado este encontro em preparação ao Jubileu. Estou grato por encontrar grande ajuda na cansativa preparação do jubileu, que será um momento de graça para toda a igreja.”

De acordo com o missionário comboniano, padre Dario Bossi, que também participou do encontro, o objetivo é fazer com que a organização do Jubileu de 2025 aconteça em sintonia entre as Igrejas dos vários territórios em âmbito mundial. “Para a Igreja no Brasil, o Jubileu será uma possibilidade de um resgate do Vaticano II em atenção aos desafios da sociedade e do mundo de hoje”, afirma.

Em entrevista à Rádio Vaticano – Vatican News, padre Dario fez uma síntese sobre os principais assuntos discutidos durante o encontro e as perspectivas em relação ao Jubileu. Ouçamos o que diz o missionário:

Jubileu 2025

O Jubileu é um evento especial da Igreja Católica que se repete a cada 25 anos, também chamado Ano Santo. Trata-se de um ano de perdão, de reconciliação e indulgência. Os fiéis que se dirigirão e visitarão as basílicas designadas poderão receber a indulgência plenária.

O último Jubileu ordinário foi realizado em 2000 no papado de João Paulo II. O próximo será em 2025, exatamente 25 anos depois. O Ano Santo é proclamado pelo Papa e tem início com a abertura da Porta Santa na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Obrigado por ter lido este artigo. Se quiser se manter atualizado, assine a nossa newsletter clicando aqui  

Vatican News 
Leia Mais ››

quinta-feira, 25 de janeiro de 2024

O PAPA: NÃO AO RIGORISMO NOS CASOS DE NULIDADE, FAVORECER A VERDADE E O BEM DAS PESSOAS


O Papa em sua audiência com os Prelados Auditores do Tribunal da Rota Romana para a inauguração do Ano Judiciário

Francisco recebeu os Prelados Auditores do Tribunal da Rota Romana, aos quais recomendou discernimento "de joelhos" nos processos de nulidade dos matrimônios. Aos juízes, o Papa recomendou a oração: "Um juiz que não sabe se ajoelhar é melhor que peça demissão".

Mariangela Jaguraba - Vatican News

O Papa Francisco recebeu em audiência, nesta quinta-feira (25/01), na Sala Clementina, no Vaticano, os Prelados Auditores do Tribunal da Rota Romana por ocasião da inauguração do Ano Judiciário.

Francisco refletiu com eles sobre um aspecto importante desse serviço: o discernimento. "Pretendo me concentrar naquele discernimento específico que cabe a vocês realizar nos processos matrimoniais, no que diz respeito à existência ou não de motivos para declarar a nulidade de um matrimônio", disse o Papa.

"É um tema sempre atual, que também tocou o âmbito da reforma implementada dos processos de nulidade matrimonial, bem como a pastoral familiar, inspirada pela misericórdia para com os fiéis que se encontram em situações problemáticas", sublinhou o Pontífice.

O Tribunal da Rota Romana lida com os delicados e às vezes dolorosos julgamentos de casos de nulidade matrimonial, dos quais Francisco pede que favoreçam "não a nulidade dos matrimônios, mas a celeridade dos processos, com uma justa simplicidade, de modo que por causa da demora na definição do julgamento, o coração dos fiéis que esperam o esclarecimento de seu estado não seja oprimido por muito tempo pela escuridão da dúvida".
Um discernimento que se faz de "joelhos"

Essa misericórdia, tão enfatizada na Exortação Amoris laetitia, "não diminui o nosso compromisso na busca da justiça no que diz respeito às causas de nulidade. Pelo contrário, à luz da misericórdia, da misericórdia para com as pessoas e suas consciências, é importante o discernimento judicial em relação à nulidade", enfatizou o Papa.

"Como vocês bem sabem, por sua própria experiência, a tarefa de julgar muitas vezes não é fácil", disse ainda o Papa. O discernimento para alcançar a certeza moral sobre a nulidade é "uma grande responsabilidade que a Igreja lhes confia, porque influencia fortemente a vida das pessoas e das famílias", disse Francisco aos Prelados Auditores do Tribunal da Rota Romana.

Devemos enfrentar esta tarefa com coragem e lucidez, mas, antes de tudo, é fundamental contar com a luz e a força do Espírito Santo. Queridos juízes, sem a oração vocês não podem ser juízes. Se alguém de vocês não reza, por favor, peça demissão. É melhor assim.

É, portanto, um discernimento que se faz "de joelhos implorando o dom do Espírito Santo". Segundo Francisco, "essa é a única maneira de chegar a decisões que vão na direção do bem das pessoas e de toda a comunidade eclesial". E insistiu, dizendo: "Um juiz que não sabe se ajoelhar é melhor que peça demissão".

Prudência e justiça

Ao mesmo tempo, a objetividade do discernimento judicial exige “estar livres de qualquer preconceito, tanto a favor quanto contra a declaração de nulidade”. Isto, explicou o Papa Francisco, implica libertar-se tanto do “rigorismo de quem pretende uma certeza absoluta” quanto de “uma atitude inspirada na falsa convicção de que a resposta melhor seja sempre a nulidade”, aquilo que São João Paulo II chamou de “risco de uma compaixão mal compreendida, apenas aparentemente pastoral”.

“O discernimento do juiz requer duas grandes virtudes: a prudência e a justiça, que devem ser informadas pela caridade.”

"Uma prudência que diz respeito a um ato declarativo sobre a existência ou não do bem do matrimônio; portanto, uma prudência jurídica que, para ser verdadeiramente pastoral, deve ser justa. O discernimento justo implica um ato de caridade pastoral, mesmo quando a sentença for negativa. E também um risco", disse ele.

O discernimento sobre a validade do vínculo é uma operação complexa, a respeito da qual não devemos esquecer que a interpretação da lei eclesiástica deve ser feita à luz da verdade sobre o matrimônio indissolúvel, que a Igreja preserva e difunde em sua pregação e missão.

"Sentir com a Igreja"

A seguir, o Papa pediu aos juízes para "sentir com a Igreja". Depois, perguntou: "Vocês rezam para sentirem-se com a Igreja? Vocês são humildes na oração, pedindo luz ao Senhor, para sentir-se com a Igreja? Volto a isto: a oração do juiz é essencial para a sua tarefa. Se um juiz não reza ou não pode rezar, é melhor que faça outro trabalho."

Por fim, um lembrete sobre a sinodalidade: "Quando o tribunal é colegial, como costuma acontecer, ou quando há apenas um juiz, mas ele consulta os que têm autoridade, o discernimento é realizado em uma atmosfera de diálogo ou discussão, na qual a franqueza e a escuta mútua são fundamentais, para uma busca comum da verdade. É também um estudo prévio, sério", disse o Papa Francisco.

Nesse serviço, é essencial invocar o Espírito Santo e comprometer-se "a empregar todos os meios humanos para averiguar a verdade". É importante, portanto, que "a investigação preliminar seja realizada com cuidado", recomendou o Papa, "para não incorrer em um julgamento apressado e apriorístico", assim como é necessário que "o juiz cultive sua própria formação permanente através do estudo da jurisprudência e da doutrina jurídica" 

Vatican News 
Leia Mais ››

sábado, 13 de janeiro de 2024

MISSA DE POSSE DO PADRE NELCINO LEOCÁDIO NA PARÓQUIA SANTA RITA DE CÁSSIA EM BURITICUPU

No dia 04.01, às 19h00 na igreja Matriz Santa Rita de Cássia foi celebrada a missa de posse do novo pároco Pe. Nelcino Leocádio. A Santa Missa foi presidida pelo bispo diocesano Dom Evaldo e concelebrada pelo padre Antônio Rodrigues, Pe. Aldeanes Souza, Pe. José de Ribamar, Pe. Valadares, Pe.  Luigi e o Frei Railson OFM. Os fiéis das diversas comunidades paroquial estiveram presentes como também fiéis das cidades de São João Batista, Santa Inês, Bom Jesus das Selvas, Auzilandia, terra natal do futuro pároco e também fiéis da paróquia vizinha Santa Luzia/Terra Bela.

O futuro pároco recebeu a missão de evangelizar essa porção do povo de Deus aqui na paróquia Santa Rita de Cássia em Buriticupu das mãos do bispo diocesano dom Evaldo Carvalho. Que Deus ilumine e abençoe a sua caminhada para que possa, junto à comunidade paroquial, desenvolver a missão pastoral que lhe foi entregue.

A Paróquia agradece imensamente ao padre Antônio Rodrigues ao padre Aldeanes pelos anos de evangelização.

Após a Santa missa teve um momento de confraternização no pátio da igreja Matriz.

Segue algumas fotos do evento:
Fonte: Pascom da Paróquia Santa Rita de Cássia 
Leia Mais ››

segunda-feira, 1 de janeiro de 2024

ORDENAÇÃO PRESBITERAL NA DIOCESE DE VIANA NO MARANHÃO

Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedec.” Sl 109(110)
“Não fostes vós que me escolheste, fui eu que te escolhi”Jo 15,16 (Pe. Aldeanes de Souza)

“Seduziste-me, Senhor, e eu me deixei seduzi” Jr 20,7 (Pe. Danrley Ferreira)

“Corações ardentes, pés a caminho” Lc 24,32-33 (Pe. Werdeson Costa)

No mês de novembro de 2023, em especial dia 18, na cidade de Santa Inês-MA, na Paróquia Santo Antônio, Igreja Matriz, foi celebrada a Missa de ordenação presbiteral de três jovens que após uma longa caminhada de preparação receberam, pela imposição das mãos do bispo diocesano Dom Evaldo, o ministério sacerdotal. Foram eles: diácono Aldeanes Souza, diácono Danrlley Ferreira e diácono Werbeson Costa.

A Santa Missa foi presidida pelo bispo diocesano Dom Evaldo Carvalho com grande participação de todo clero diocesano, mais alguns outros padres de outras dioceses, familiares e amigos dos futuros padres.

A Paróquia Santa Rita de Cássia e São Francisco de Assis marcou sua presença, pois durante 01 ano e 03 meses de convivência com o seminarista e depois diácono Aldeanes Souza, laços de amizade fraterna foram construídos e como gratidão, centenas de paroquianos se deslocaram para juntos viverem esse momento tão especial na vida do nosso então Pe. Aldeanes de Souza.

Com o lema de ordenação sacerdotal “Não fostes vós que me escolheste, fui eu que te escolhi” o diácono Aldeanes recebeu por imposição das mãos do bispo diocesano seu ministério sacerdotal. A Paróquia continuará a rezar pelo ministério concedido a esses três jovens, como também rezar pelas vocações sacerdotais.

Confira alguns registros deste momento celebrativo:
Fonte: Pascom da Paróquia Santa Rita de Cássia em Buriticupu

Leia Mais ››