quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

FILIPINAS: MAIOR PROCISSÃO DE FIÉIS DO MUNDO NA FESTA DO NAZARENO NEGRO

Cidade do Vaticano


“A vida não se apoia no poder. Nascemos desprovidos de poder, e também quando morreremos não poderemos dispor dele. Por isso devemos buscar ser um instrumento de vida para os outros”: foi o que afirmou o arcebispo de Manila, nas Filipinas, e presidente da Caritas Internacional, Cardeal Luis Antonio Tagle, durante a missa de meia-noite celebrada por ocasião da tradicional procissão com a imagem de madeira do Cristo (Nazareno negro), que se realizou na segunda-feira pelas ruas do centro da capital filipina.


Imagem representa Jesus carregando a cruz


Durante a homilia o purpurado denunciou a avidez e a fome de poder no mundo, advertindo que “esquecer a importância de servir a Deus significa trilhar por um falso caminho”.

Todos os anos, o traslado da escultura sacra de seu lugar original, a igreja de São Nicolau de Tolentino, até a paróquia de Quiapo, conclui a novena (31 de dezembro a 9 de janeiro), e tem a participação de milhões de fiéis reunidos em oração, para pedir uma graça ou um milagre pessoal.


Presente na celebração também o núncio apostólico no país asiático


Além de numerosos sacerdotes e bispos provenientes de várias dioceses do arquipélago, encontrava-se presente na celebração presidida pelo Cardeal Tagle, o núncio apostólico nas Filipinas, o arcebispo Gabriele Giordano Caccia.


Também este ano a imagem centenária em madeira do Cristo percorreu as ruas do centro da metrópole, acolhida em sua passagem por cidadãos e turistas unidos em oração. Em termos de celebrações de caráter religioso, a procissão do Nazareno negro encontra-se entre as mais famosas e participadas do país asiático.


Quase vinte milhões de fiéis na 
procissão de mais de 20 horas 
de duração
A imagem sacra representa Jesus curvo sob o peso da cruz. Ela foi levada a Manila por um sacerdote agostiniano espanhol em 1607, a bordo de uma embarcação proveniente do México. Segundo a tradição a embarcação pegou fogo repentinamente durante a viagem, mas a representação de Cristo milagrosamente não foi danificada pelo incêndio, ficando, porém, enegrecida. A procissão representa o primeiro traslado da escultura sacra, verificado em 9 de janeiro de 1767.



Fonte: Radio Vaticano

Um comentário:

  1. É muito bonito ver esta expressão de fé do povo simples.

    ResponderExcluir