sexta-feira, 1 de junho de 2018

NOTA DE REPÚDIO AOS RECENTES ATOS DE INTOLERÂNCIA RELIGIOSA EM MARANHÃOZINHO - MA

Dom João (Jan) Kot, OMI
Bispo de Zé Doca
Maranhão – Brasil


                         

 

  “FIAT MISERICORDIA TUA”

Meus amados Filhos e Filhas, saudações em Cristo Jesus envio.

    Lamento tudo o que aconteceu, no dia 31 de maio de 2018, na comunidade Vila São Pedro, que pertence a Paróquia São Pedro em Maranhãozinho – MA. A alegria de celebrar a Solenidade de Corpus Christi e o encerramento do mês  mariano, dedicado a Maria, Mãe de Jesus, foi profundamente ferida pelo triste fato. Invadir o local de culto, quebrar as imagens sacras é uma afronta à liberdade religiosa que a Constituição do Brasil nos garante, é sem dúvida uma intolerância religiosa, uma agressão à livre expressão religiosa e violação de direitos fundamentais.

    Diante do ocorrido o que podemos fazer? Vamos manter a calma, primeiro, e depois tomar providências legais. O Pároco já avisou os órgãos competentes e pedi que fizessem um boletim de ocorrência. As imagens serão recuperadas, mas não é a primeira vez que aconteceu e não será a última, infelizmente (com a imagem de Nossa Senhora Aparecida foi feito o mesmo).
  O agressor como de costume será declarado, no máximo, confuso emocionalmente. Mas não dá para não questionar: Por que ele fez isso? Com certeza dirão que ninguém incentivou. Mas quem prega o Evangelho na base de ódio e intolerância, e resume muitos de seus discursos religiosos falando mais de outros do que do Evangelho, está mais interessado na promoção de si mesmo que no anúncio do Reino de Deus. Fazendo uma lavagem cerebral manipulando a Palavra, confunde os pequeninhos e semeia a violência, no início psicológica, depois verbal e no fim física.  E não importa que nome atribua a sua denominação ou pinta nas paredes de seu templo, com certeza está bem longe daquilo que Jesus pregou: “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (Jo 13,34).
    Jesus disse: “um servo não é mais que seu senhor. Se me perseguiram, também a vós perseguirão; se cumpriram minha palavra, também cumprirão a vossa. Tudo isso vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou” (Jo 15,20-21). Então se nos perseguem, agridem, invadem nossas igrejas e capelas, é sinal visível que estamos no caminho certo, fazem isto há quase dois mil anos com a Igreja e Ela sobreviveu e sobreviverá. O bem nunca vai usar a força bruta, só o mal desesperado chega a fazer isso quando não consegue vencer de outro jeito, quando a mentira não convence mais.
    No evangelho de Lucas, Maria canta: “Desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. Porque o Poderoso fez em mim maravilhas e Santo é o seu nome” (Lc 1,48-49). Não importa quantas imagens de Nossa Senhora ainda quebrarão, nós continuamos a chamar Mãe de Jesus de bendita, santa e amá-la como Jesus a ama. Se a terra que Jesus pisou, chamamos de santa, sabendo que o vento do tempo já levou quase tudo e só ficou o espaço geográfico, muito mais santo é o ventre de Maria de Nazaré que concebeu pela força do Espirito Santo e gerou o Messias (Lc 1,26-56 e 2,1-40), fazendo deste ventre o espaço mais sagrado de todos os tempos e do universo.
Padre Antônio Maria canta:
Por que amo assim Maria?
Perguntou-me um dia alguém.
Devo e quero sempre amar a quem Deus ama também.
Se até meu inimigo devo amar com todo amor.
Como não amar aquela, que me trouxe o salvador.

Ave Maria, Ave Maria, estrela guia.
Mãe admirável. Que ao Pai me conduz
Ave Maria, Ave Maria.
No dia-a-dia eu quero te amar com o amor de Jesus.

Só Deus pode responder por aquilo que ele faz.
Quis precisar de Maria para nos trazer a paz.
De outro modo poderia vir a nós o salvador.
Mas quis ter medianeira o que é mediador.

Ave Maria...
Não encontra quem quiser encontrar Cristo sem cruz.
Impossível é sem Maria encontrar também Jesus.
Como não há cruz sem Cristo e não há Cristo sem cruz.,não há Jesus sem Maria nem Maria sem Jesus.
    Como enfrentar a intolerância religiosa? Com certeza não pagaremos na mesma moeda, porque os verdadeiros seguidores de Jesus sabem perdoar e vencem “o mal com o bem” (Rm 12,21). As imagens foram quebradas e não a nossa fé. As imagens simbolizam, são para nós como que janelas – abertas nos ajudam a enxergar a realidade do outro lado da vida, nos lembram da presença divina no dia-a-dia. Não acreditamos nas imagens, como insistem caluniosamente, mas em Deus vivo que ao enviar Jesus Cristo O fez “a imagem do Deus invisível, primogênito de toda criatura” (Cl 1,15). Continuaremos nossa caminhada de fé com muita misericórdia para com todos, rezar por todos e amar a todos, a exemplo de Jesus. Amém.
    Em espírito de caridade, convido todo o clero, religiosos (as) e todo o Povo de Deus, e cada fiel batizado em Jesus Cristo, homens e mulheres de boa vontade, para celebrarmos a Santa Missa de desagravo, amanhã, dia 02 de junho, na capela da Vila São Pedro em Maranhãozinho.
     Invocando o olhar materno da Virgem Mãe e Senhora Aparecida, suplico ao Bom Deus que vos abençoe e fortaleça  em todas as situações para que sejamos verdadeiramente – SAL DA TERRA E LUZ DO MUNDO!
Dom João Kot, OMI
Bispo Diocesano de Zé Doca
                      Zé Doca, 01 de junho de 2018




Fonte: http://diocesezedoca-ma.blogspot.com/2018/06/nota-de-repudio-aos-recentes-atos-de.html?m=1

Nenhum comentário:

Postar um comentário