sábado, 10 de novembro de 2018

PROCESSO DE DECLARAÇÃO DE NULIDADE MATRIMONIAL


"Até que a morte nos separe". Essa é verdade que baseia todo casamento católico. Ou seja, quando a Igreja realiza um matrimônio entende fazer um ato para toda a vida, excluindo-se assim a separação, o divórcio. E na grande maioria dos casos é isso quem também os nubentes desejam.
A realidade por vezes é muitas vezes se faz diferente. Muitos casamentos terminam depois um tempo, longo ou breve. Em consequência disso alguns sofrem outros logo arrumam outro amor e refazem a vida e assim por diante. Seja qual for o resultado, há um matrimônio a resolver, aquele fracassado. É verdade que há quem não queira mais mexer com isso. É um direito. Mas há, por outro muitos que querem resolver, regularizar sua vida com a Igreja, casar de novo etc.
Isso é possível? É  sim, por meio de um instrumento chamado declaração de nulidade matrimonial. Vejam bem, não se trata de anular o casamento, mas de, por meio de uma análise profunda, verificar se há indícios de que aquela celebração não valeu, por alguma razão ou por várias. Daí se inicia o processo.
Para esta primeira conversa, o pe. Luís, vigário judicial da nossa diocese. Estará disponível aqui na casa paroquial  no dia 11 deste mês  para ouvir as pessoas interessadas.
Pedimos a todos que passem essa notícia a que vocês conhecerem, e incentivem a vir procurar o padre e  saber se há possibilidade. Isso também é missão, é caridade fraterna. 
O QUE: Conversa individual com o vigário judicial. 
QUANDO: Domingo, 11 de novembro a partir das 14h30.
ONDE: Casa Paroquial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário