sábado, 22 de dezembro de 2018

A TRAGÉDIA DAS ARMAS FÁCEIS PROVOCOU 40 MIL MORTES NOS EUA

O ano de 2017 foi também o ano dos tiroteios em massa com mais

mortes na história moderna dos Estados Unidos. (David Becker/AFP)


Também contribuiu para o alto número os suicídios com armas: foram 23.854, que equivale a 12 mortes por 100.000 pessoas (um aumento de 10,1 em comparação com 2010).

No ano passado, nos Estados Unidos, as armas de fogo mataram cerca de 40.000 pessoas, o nível mais alto em quatro décadas. O dramático dado foi certificado pelo Centers for Disease Control and Prevention, ressaltando que cerca de 14.542 pessoas foram mortas em 2017, em assassinatos cometidos com armas de fogo. Também contribuiu o alto número os suicídios com armas: foram 23.854, que equivale a 12 mortes por 100.000 pessoas (um aumento de 10,1 em comparação com 2010). Esse é o maior nível desde 1996.

O ano de 2017 foi também o ano dos tiroteios em massa com mais mortes na história moderna dos EUA. Como aquele que ocorreu em Paradise, perto de Las Vegas, na noite de 1 de outubro do ano passado, que matou 59 pessoas, deixando outras 489 feridas.

De modo mais geral, a pesquisa do Centers for Disease Control and Prevention indica que seis países são responsáveis por mais de metade de todas as 250.000 vítimas por arma de fogo no mundo. Na lista, além dos Estados Unidos, aparecem o Brasil, o México, a Colômbia, a Venezuela e a Guatemala.

 Fonte: L`Osservatore Romano, 15-12-2018.


Nenhum comentário:

Postar um comentário