sábado, 11 de maio de 2019

56º DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES


Celebra-se, no próximo domingo (12/5), o 56° Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que terá como tema: “A coragem de arriscar pela promessa de Deus”.
Por ocasião do 56º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, o Santo Padre enviou uma Mensagem, na qual recorda dois grandes eventos, que se realizaram recentemente na Igreja: o Sínodo dedicado aos Jovens, em outubro de 2018, e a 34ª Jornada Mundial da Juventude no Panamá, em janeiro deste ano.
Ouça e compartilhe!
Estes dois eventos permitiram à Igreja dar ouvidos à voz do Espírito e também à voz dos jovens, aos seus interrogativos, às suas fadigas e esperanças.
Por isso, neste Dia Mundial de Oração pelas Vocações, Francisco retoma o que partilhou com os jovens no Panamá e reflete sobre a chamada do Senhor, que nos torna portadores de uma promessa e, ao mesmo tempo, nos pede coragem de arriscar com Ele e por Ele.
Coragem de arriscar
Logo, “promessa e risco”: dois aspetos que o Papa propõe aos jovens ao meditar sobre a passagem evangélica da vocação dos primeiros discípulos, às margens do Lago da Galileia: dois irmãos, Simão e André, junto com Tiago e João, que se ocupam da lida diária de pescadores.
Como na história de cada vocação, também neste caso acontece um encontro: no seu caminho, Jesus encontra estes pescadores e se aproxima deles. A mesma coisa acontece com quem escolhe a vida matrimonial ou a vida consagrada. Trata-se da surpresa de um encontro e da promessa de uma alegria, capaz de saciar a nossa vida.
De fato, Jesus não tarde em fazer a sua “promessa” àqueles pescadores: “Farei de vocês pescadores de homens”.
Contudo, a chamada do Senhor não é uma ingerência de Deus na nossa liberdade; não é uma jaula ou um peso que devemos carregar. Pelo contrário, é a iniciativa amorosa com que Deus vem ao nosso encontro e nos convida a participar de um grande projeto.
Vocação para seguir Jesus
Logo, a vocação é um convite a não ficarmos parados com as redes na mão, mas a seguir Jesus no seu caminho, para a nossa felicidade e o bem dos que nos rodeiam.
Claro, aceitar a sua promessa requer coragem de “arriscar”. De fato, os primeiros discípulos, “deixaram logo as redes e seguiram Jesus”; aceitar a chamada do Senhor significa deixar-se envolver totalmente por ele e “correr o risco” de enfrentar um desafio inédito; é deixar tudo e fazer uma escolha definitiva, confiando na promessa do Senhor.
Apelo aos jovens
O Santo Padre conclui a sua Mensagem com um apelo aos jovens: “Não sejam surdos à chamada do Senhor! Se Ele os chamar, não se oponham, mas confiem nele. Lembrem-se que o Senhor promete sempre, aos que deixam tudo para segui-lo, a alegria de uma vida nova, que enche o coração e anima nosso caminho”.
Fonte: Vatican News 

Nenhum comentário:

Postar um comentário