domingo, 28 de julho de 2019

'DESTRUIÇÃO DA FLORESTA AMAZÔNICA ACELERA' NA ERA BOLSONARO, MANCHETA NEW YORK TIMES

Proteção da Amazônia diminui com governo Bolsonaro, expõe um dos veículos de comunicação mais respeitados no mundo.

Bolsonaro chegou a dizer que questão ambiental só importa 'aos veganos que comem só vegetais' (Mayke Toscano/Gcom-MT)

O jornal americano New York Timesdestacou em reportagem publicada neste domingo (28) a política ambiental do governo de Jair Bolsonaro.

Sob o título "Destruição da Floresta Amazônica Acelera" e com manchete na primeira página, a matéria revisita decisões do presidente, bem como as críticas que ele fez a dados de desmatamento.

"Bolsonaro rejeitou os novos dados sobre o desmatamento, chamando-os de 'mentira' - uma afirmação que os especialistas chamam de infundada. Durante uma reunião com jornalistas internacionais na semana passada, o presidente classificou a preocupação com a Amazônia como uma forma de 'psicose ambiental' e argumentou que seu uso não deve ser para estrangeiros", destaca o texto, ao se referir à opinião do presidente sobre números divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O Inpe está no centro da polêmica do governo Bolsonaro desde que apontou o aumento do desmatamento na primeira quinzena de julho, quando comparado com igual mês de 2018.

A matéria também lembra que Bolsonaro prometeu flexibilizar regras ambientais e cortou o orçamento do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O texto ainda cita a multa aplicada ao então deputado federal pelo Rio de Janeiro por pesca em protegida.

Coisa de vegano 

Nesse sábado (27), ao reafirmar a intenção de transformar a baía de Angra dos Reis , na Costa Verde do Rio, na "Cancún brasileira" , Bolsonaro afirmou que apenas "veganos que comem só vegetais" se preocupariam com a questão ambiental. Ele foi questionado se o meio ambiente não era importante na proposta para a Estação Ecológica de Tamoios .

"Só aos veganos que comem só vegetais [é importante a questão ambiental] — respondeu o presidente, em declarações reproduzidas pelo jornal Folha de S. Paulo. "Outros países com baía não tão exuberante como a de Angra conservam o meio ambiente. Se quiséssemos fazer uma maldade, cometer um crime, nós iríamos à noite ou em um fim de semana qualquer na baía de Angra e cometeríamos um crime ambiental, que não tem como fiscalizar".

Bolsonaro anunciou em maio que mudaria, por decreto, as regras de preservação da Estação Ecológica de Tamoios, em Angra dos Reis. 

Agência Estado/Redação



Nenhum comentário:

Postar um comentário