terça-feira, 27 de agosto de 2019

HELDER, LUCIANO E JOSÉ

Completam-se 20 anos da Páscoa de Dom Helder Câmara (falecimento no dia 27 de agosto de 1999), 13 anos de Dom Luciano (falecimento no dia 27 de agosto de 2006) e 2 anos de Dom José Pires (falecimento no dia 27 de agosto de 2017).
Dons de Deus 

Dom Luciano Mendes de Almeida, ao presidir a Celebração Eucarística de inauguração da Escola Superior Dom Helder Câmara, disse sobre ele:
           (Dom Helder e Dom Luciano)

“Dom Helder percorreu o mundo pregando a superação da violência e do racismo; o fim das guerras e das desigualdades sociais. Denunciou o absurdo de se gastar em armas que matam os recursos que seriam suficientes para acabar com a fome. Alertou para o perigo do desrespeito à natureza; proclamou o direito à paz e as exigências da justiça. Despertou nos jovens a alegria de viver e de fazer o bem”.

Ao celebrarmos a memória desses três amigos, podemos atribuir a José Maria Pires e ao próprio Luciano o sentido exato das palavras acima. Os três foram incansáveis no serviço à Igreja, pelos pobres, com os pobres e como pobres. A voz profética desses três homens não se calou diante de violações de direitos humanos, de injustiças que aviltam a dignidade humana e de agressões ao meio ambiente.

Dom José Maria Pires, em visita à esta Escola de Direito, afirmou: “Fico imensamente contente que vocês tenham escolhido o nome de meu querido amigo. Que ele sempre inspire esses estudantes e professores ao serviço da Justiça através do Direito”.

Na “festa que nunca se acaba”, da eterna comunhão dos santos de Deus, podemos crer que os três continuam a servir a humanidade, intercedendo por nós junto a Deus. E continuam solidários a todos os que trabalham por um mundo mais socioambietalmente justo e sustentável.
(Dom Helder e Dom José Maria Pires)
Dom Helder continuará pedindo um “terceiro milênio sem fome”, Dom José, no seu generoso serviço Povo de Deus e Dom Luciano refletirá a esperança anunciada na inauguração da Escola Dom Helder:

“O Reino de Deus já está acontecendo. Mas podemos contribuir mais, agilizando autênticas transformações das estruturas políticas, econômicas e sociais. É preciso que em nossas atitudes pessoais, o outro, especialmente, o mais pobre e sofredor, seja prioridade. É preciso fazer com que, neste país, a promoção da justiça social seja prioridade absoluta da agenda política. Superar as condições que obrigam tantos brasileiros a passar fome deve ser uma obsessão de cada um de nós...”

Fonte: Domtotal

Nenhum comentário:

Postar um comentário