terça-feira, 28 de julho de 2020

65 ANOS DA 1ª CONFERÊNCIA GERAL DO EPISCOPADO LATINO-AMERICANO, NO RIO DE JANEIRO


Numa carta, os bispos agradecem a Deus pelos 65 anos desta Conferência na qual foi decidido pedir ao Papa Pio XII “a criação do Conselho Episcopal Latino-Americano – Celam, com o objetivo de estudar os problemas que dizem respeito à Igreja na América Latina, coordenar atividades e preparar novas Conferências do Episcopado Latino-Americano”. O mesmo tem se empenhado em favorecer “processos de evangelização e serviço eclesial” no Continente
Vatican New
Por ocasião dos 65 anos da primeira Conferência Geral dos bispos da América Latina, realizada em 1955 no Rio de Janeiro, o Conselho Episcopal Latino Americano (CELAM), numa carta assinada por sua presidência e publicada na página web do Episcopado, agradece a Deus por esta conquista e pede a intercessão da Santíssima Virgem Maria, Nossa Senhora de Guadalupe, a fim de que o processo de evangelização de uma Igreja em saída, missionária e sinodal possa continuar.
“Agradecemos a Deus pelo 65º aniversário desta Conferência convocada pelo Papa Pio XII, e na qual foi decidido pedir a Sua Santidade a criação do Conselho Episcopal Latino-Americano – CELAM, com o objetivo de estudar os problemas que dizem respeito à Igreja na América Latina, coordenar atividades e preparar novas Conferências do Episcopado Latino-Americano com os novos desafios dos tempos de mudança”, lê-se no texto.
Ação estimulada pela presença e palavra dos Santos Padres
A partir daí, o CELAM tem tratado de problemas sociais, missões, povos indígenas, população de origem africana, imigrantes, marítimos, bem como do problema da escassez de sacerdotes, e ao longo de toda a sua existência tem se empenhado em favorecer “processos de evangelização e serviço eclesial” para difundir a fé e torná-la parte integrante do pensamento, dos costumes e das instituições do Continente.
Sua ação - explicam os bispos – “foi particularmente estimulada pela presença e mensagem dos Santos Padres Paulo VI, João Paulo II, Bento XVI e agora do Papa Francisco, que fizeram sentir sua proximidade e sua palavra guia em todos os países de nosso continente”.
Vatican News Service – AP/RL



Nenhum comentário:

Postar um comentário