segunda-feira, 13 de julho de 2020

DIOCESE DE VIANA LANÇA PROTOCOLO COM AS DETERMINAÇÕES PARA O RETORNO DAS CELEBRAÇÕES PRESENCIAIS


Prot. D. 10/2020

DOM EVALDO CARVALHO DOS SANTOS, CM
PELA GRAÇA DE DEUS E DA SANTA SÉ APOSTÓLICA
BISPO DA DIOCESE DE VIANA (MA)

DETERMINAÇÃO


Estamos enfrentando tempos difíceis e situações que jamais pensávamos em vivenciar. Mais do que nunca somos chamados a cuidar de si e das outras pessoas. Esses dias de pandemia não podem passar sem nos instigar a repensar nossa vida, nossas formas de relação, nossa fé e nossa evangelização. 
Em meio a tantas lições, reaprendemos que temos necessidade uns dos outros. Nunca foi tão oportuno pensar o coletivo, deixar o individualismo de lado e pensar no outro.
Precisamos reaprender uma nova forma de lidar com o meio em que vivemos e como nos relacionamos com as pessoas em tempos de despedidas, sem abraços e encontros sem apertos de mão. Necessitamos repensar o lugar, o espaço, a presença.
Devemos recomeçar como odres novos. Lembrando o que Jesus nos ensina no Evangelho: “Vinho novo em odres novos!”, Mc 2,17. Não há como colocar vinho novo em odre velho e vice-versa. É preciso que nos desvencilhemos de velhos costumes para abrirmos nossos corações para novos horizontes.
Faz-se necessário olhar as oportunidades para além da crise e fazer deste tempo um tempo de aprendizado, em que flexibilizamos nossos recipientes para ajustes e acertos, a fim de seguirmos adiante em prol da vida, da justiça e da esperança.
As orientações que seguem pretendem estar alicerçadas no amor de Cristo, que nos envia a curar os doentes e a ressuscitar os mortos, conferindo dignidade a todas as pessoas, fazendo a vida triunfar sobre a morte, a luz resplandecer sobre as trevas e a esperança vencer o medo.
Assim sendo, depois de consultarmos os clérigos da Diocese de Viana, assumindo as orientações da CNBB (em anexo), a portaria do Governo do Maranhão (em anexo), bem como os decretos de cada município do território de nossa circunscrição eclesiástica, decidimos retomar de forma gradativa as celebrações públicas e atividades pastorais, sem ultrapassar aquilo que nos é devido, com as devidas restrições sanitárias, a partir do primeiro domingo do mês de agosto, desde que seguindo as orientações da presente Determinação.

Tudo isso considerado,
• Visto o Decreto “Volta às celebrações públicas da comunidade cristã, perdurante a pandemia de Coronavírus”, Prot. N. 28/D/2020, 11.07.2020;

• Considerando a necessidade de oferecer à comunidade diocesana orientações de acordo com às da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB e do Governo do Estado do Maranhão;

• Considerando a consulta com os clérigos da Diocese de Viana, realizada de 25 de junho a 02 de julho passado;

D E T E R M I N A

“o retorno às atividades litúrgico-pastorais na Diocese de Viana se realize de acordo com o seguinte Protocolo específico de medidas sanitárias”

Informação à comunidade paroquial

Cada pároco ou administrador paroquial deverá orientar suas comunidades quanto às medidas de prevenção e controle, que devem ser adotadas segundo as orientações da Diocese, podendo as mesmas ser adaptadas à realidade de cada comunidade, para que não seja implicada perda de segurança dos fiéis e seja respeitada a saúde de todos.

Equipe de apoio paroquial à prevenção da disseminação da Covid-19

O Pároco deverá constituir uma equipe de apoio, em que seus membros, equipados com máscara e luvas descartáveis, cuidem para que sejam observadas rigorosamente as regras sanitárias por dentro e por fora da igreja ou de outro espaço celebrativo.
A referida equipe deverá garantir que:
- Não se tenha aglomeração de pessoas nos espaços da igreja ou de outro espaço celebrativo, também no seu entorno;

- Todos os participantes das missas usem, obrigatoriamente, máscaras de proteção que cubram a boca e o nariz, inclusive a Equipe de celebração. Caso alguém se apresente sem máscara e a Paróquia não possa fornecer, a pessoa não poderá ficar na celebração;

- Os fiéis tomem assento nos lugares determinados e indicados;

- Os fiéis respeitem a distância de segurança mínima de N. 2 (dois) metros frontal e lateral entre os mesmos;

- Os fiéis mantenham suas mãos higienizadas com álcool em gel e/ou sanitizantes ou produtos antissépticos que possuam efeito similar.

Espaço de acolhida dos fiéis

- O ambiente de nossos templos estará limpo, higienizado e ventilado; esse cuidado deve ser contínuo, cumprido mormente após o término de cada culto religioso, utilizando álcool 70% ou hipoclorito de sódio. As portas permanecerão abertas e, caso o ar condicionado estiver ligado, será usado na função ventilador;

- Os lugares serão demarcados, de forma a se manter o distanciamento de uma pessoa a outra, de pelo menos N. 2 (dois) metros, pela frente como também atrás e nas laterais.

Procedimentos a serem adotados pelos fiéis

- Presença limitada de 50% de pessoas da capacidade do templo, durante a realização dos ritos sagrados;

- A presença dos fiéis será organizada durante a semana nas secretarias paroquiais, mediante a distribuição de senha ou registro prévio, nominal, impedindo assim as aglomerações nas portas;

- São dispensadas de participar das missas as pessoas dos grupos de risco ou que possuam qualquer outra comorbidade; estas pessoas continuarão acompanhando as missas pelos meios de comunicação;

- Não será autorizada a permanência nos cultos religiosos as pessoas com quaisquer sintomas que possam ser relacionados à Covid-19.

- Para adentrar às igrejas e nela permanecerem, durante o culto religioso, todos devem usar máscaras;

- Será garantido e exigido aos fiéis o uso do álcool 70% na entrada, no momento das ofertas (recolhidas por pessoas devidamente preparadas), na comunhão (distribuída diretamente na mão dos fiéis, seguindo a distância mínima de dois metros) e, ainda, no momento da saída.

- Será organizada a saída de todos, de forma tranquila, sem que o fluxo das pessoas cause aglomeração e observando a distância mínima de N. 2 (dois) metros.

Procedimentos da Equipe celebrativa

- Reduzir ao mínimo necessário a Equipe de liturgia da celebração, tendo o mínimo de acólitos, de coroinhas e de Ministros Extraordinários da Eucaristia para a distribuição da comunhão aos fiéis; número reduzido também de leitores para fazer as leituras bíblicas e propor as orações dos fiéis;

- As celebrações das missas não devem durar mais que 60 (sessenta) minutos;

- O presbítero durante a celebração está dispensado do uso de máscara;

- A homilia seja breve e objetiva;

- Permanece omitida a saudação no Rito da paz;

- Não será promovido ou estimulado cumprimentos, toques ou abraços. Essa prevenção também se atribui às imagens sacras, as quais estarão separadas dos fiéis por meio de uma barreira física de, no mínimo, N. 2 (dois) metros;

- Antes da distribuição da Sagrada Comunhão o Padre e/ou Diácono/Ministro deverão higienizar as mãos com álcool em gel. A Comunhão Eucarística deve ser realizada somente na mão e, preferencialmente nos lugares (nos bancos, cadeiras) onde estão os fiéis, evitando movimentação e as filas. Quando isso não for possível, solicitamos que a fila seja organizada de modo com que os participantes mantenham a distância de N. 2 (dois) metros um do outro, com demarcações no piso, e que os participantes saiam de seus assentos de forma organizada, banco por banco;

- Quem for distribuir a Sagrada Comunhão deverá manter a devida distância dos fiéis comungantes. Terminada a distribuição, os que distribuíram a Comunhão façam a
purificação e a higienização das mãos com álcool em gel;

- Sejam realizadas as coletas somente ao final das missas, nas saídas das igrejas; - Os que forem contabilizar as coletas usem luvas descartáveis e realizem rigorosamente a higienização das mãos;

- As paróquias que tenham condições de celebrarem a santa Missa em lugar aberto ou lugares que facilitem o distanciamento e a observação das normas sanitárias poderão fazê-lo. Mesmo ao ar livre, há de se manter o distanciamento mínimo de N. 2 (dois) metros entre uma pessoa e outra.

Outras orientações

- As celebrações dos sacramentos do Batismo e do Matrimônio deverão respeitar as mesmas recomendações exigidas para as missas dominicais;

- Celebração do sacramento do Matrimônio: em diálogo com os noivos, a celebração aconteça respeitando o número máximo previsto de lugares, conforme regras estabelecidas de volume máximo de 50% do espaço, preservando o distanciamento preconizado de N. 2 (dois) metros e o uso de máscaras. Caso os noivos desejem uma maior afluência de pessoas, proceda um novo agendamento da data;

- Celebração das Exéquias: a celebração acontecerá de forma breve e será feita por ministros de culto que não se encontram no grupo de riscos;

- Celebração da Penitência e Viático: o atendimento de confissões, visitas aos enfermos, distribuição da comunhão aos idosos e enfermos, será com horários previamente marcados e realizado pelos padres ou ministros que não estão no grupo de risco, respeitando o cuidado e as recomendações exigidas;

-Todas as demais atividades pastorais e eventos com aglomerações continuarão suspensos, contribuindo dessa forma com o isolamento social.

Saudações em Cristo!

Esta determinação observe-se, cumpra-se.
Dado e passado na Cúria Diocesana de Viana (MA) aos 11 de julho de 2020.


Dom Evaldo Carvalho dos Santos, CM
Bispo Diocesano

Pe. Luigi Zuncheddu
Chanceler

Nenhum comentário:

Postar um comentário