sábado, 25 de julho de 2020

IGREJA NO MARANHÃO DISTRIBUI CERCA DE 30 MIL KG DE COMIDA A INDÍGENAS E FAMÍLIAS POBRES


A ação solidária da diocese de Grajaú, no Maranhão, é um gesto concreto para ajudar os indígenas e os mais vulneráveis a enfrentar as dificuldades causadas pela pandemia. Uma série de 10 vídeos revela as viagens dos voluntários para distribuir os milhares de quilos de comida e materiais de higiene, carregados em caminhões, carros e entregues pelas mãos, inclusive, de dom Rubival Cabral Britto, bispo diocesano: "o maior dom que podemos fazer ao outro é atualizar os gestos de Jesus, que viu, teve compaixão e cuidou. A solidariedade é o remédio que nos liberta da prisão do acúmulo e do egoísmo".

Andressa Collet - Vatican News

O vídeo mais recente de uma série de 10 episódios da diocese de Grajaú, no Maranhão, que apresenta a ação solidária “Quem ama, cuida. É tempo de cuidar!”, em parceria com a Igreja no Brasil, entidades, governos e a rede de paróquias e comunidades, foi divulgado nesta quinta-feira (23). Desta vez, 266 famílias dos povos indígenas Canela, da Aldeia Porquinho, no município de Fernando Falcão, receberam 6 mil Kg de alimentos e material de higienização. A doação aconteceu através da diocese local, por meio das Obras Missionárias “Frei Alberto Beretta” e da Pastoral Indigenista Diocesana, em parceria com Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil).

Dom Rubival Cabral Britto, bispo diocesano de Grajaú, tem sempre acompanhado pessoalmente a entrega das doações e afirma que:

“O maior dom que podemos fazer ao outro, é atualizar os gestos de Jesus; que viu, teve compaixão e cuidou; a solidariedade é o remédio que nos liberta da prisão do acúmulo e do egoísmo.”

Em outro episódio já divulgado, a ação solidária ganhou a colaboração da CNBB e da Ação Cidadania para distribuir 950 kits de higiene e mais de 13 mil Kg de alimentos aos povos indígenas da aldeia Escalvado e da aldeia Velha, no território dos Canelas. O gesto solidário atendeu, assim, 950 famílias, isto é, mais de 3 mil indígenas. Em outro vídeo divulgado pela diocese de Grajaú, foram distribuídos 10 mil Kg de alimentos aos povos indígenas de 31 aldeias do território Cana Brava e para famílias carentes de 23 comunidades das paróquias e áreas pastorais da diocese.

A ação por meio das Obras Missionárias “Frei Alberto Beretta” e da Pastoral Indigenista Diocesana é um gesto concreto para ajudar os indígenas a enfrentar as dificuldades causadas pela pandemia da Covid-19.

Localidades assistidas

No município de Grajaú-MA, as aldeias beneficiadas foram: Bananal, Morro Branco, Arymy, Coroatá-Cana Brava e Alfredo Neto.

Em Jenipapo dos Vieiras-MA, a Terra Indígena Lagoa Comprida, e na BR, as aldeias da Terra Indígena Canabrava, Coquinho, Maranatá, Castanhal, Cabeça da Onça, Lagoa Cumprida, Macaúbas, Barreirinha, Capinzal, Jericó, Kitara, Naiva, Ribeiro, Nova Barreirinha, Pantanal, Elomar Ribeiro, Cachoeira Comprida, Ycáynal, Maná, Boa Esperança, Galileia Mearim, Sítio Ribeiro, Santa Maria, Porto Velho, Cajueiro.

A solidariedade chegou nas famílias das paróquias Santa Luzia e São José e São Miguel em Barra do Corda-MA, no Centro Pastoral de Barra do Corda para atender comunidades da cidade; na Paróquia São José da Providência em Jenipapo dos Vieiras-MA; Em Grajaú-MA na Paróquia Catedral Nosso Senhor do Bonfim, Área Pastoral Ressureição do Senhor, bairros Extrema e Frei Alberto Beretta e Área Pastoral Nossa Senhora da Conceição, povoados Alto Brasil e Remanso.

Colaboração: Diocese de


Grajaú/MA
Vatican News

Nenhum comentário:

Postar um comentário