sexta-feira, 12 de março de 2021

BISPO DA NIGÉRIA: DAR DE COMER É UM IMPERATIVO ÉTICO E UMA FORMA DE ORAÇÃO

O Arcebispo de Abuja, a capital da Nigéria, Dom Ignatius Kaigama lança um apelo à solidariedade concreta em um país que a Covid-19 tornou ainda mais pobre. Atualmente mais de 80 milhões de pessoas estão sofrendo as consequências da desnutrição. Os que têm fome devem ser amados com ações, não com palavras, disse o prelado nigeriano
Isabella Piro – Vatican News
Praticar a primeira das sete obras de misericórdia corporal, ou seja, "dar de comer a quem tem fome", é "um imperativo ético e uma forma poderosa de oração", disse o Arcebispo de Abuja, Nigéria, Dom Ignatius Kaigama, celebrando a Missa na paróquia diocesana de "São Mateus" há alguns dias.
Ouça e compartilhe!
Em sua homilia, o prelado destacou que a insegurança, o desemprego e a pandemia da Covid-19 agravaram a escassez de alimentos no país africano, onde mais de 80 milhões de pessoas sofrem as consequências da desnutrição. Referindo-se à encíclica "Caritas in veritatis", escrita em 2009 pelo Papa, agora emérito, Bento XVI, o arcebispo nigeriano reiterou: "O direito à alimentação, como o direito à água, tem um lugar importante na busca de outros direitos". "Os pobres devem ser amados com ações", acrescentou ele, "não com palavras".
A Nigéria, capital mundial da pobreza
Dom Kaigama então expressou forte preocupação porque a Nigéria "é chamada de capital da pobreza do mundo", em parte devido a "uma combinação de fatores, tais como conflito e desemprego, que estão piorando os níveis nacionais de indigência". “Nossa terra é fértil e tem enormes recursos naturais", disse o Arcebispo de Abuja, "mas a extrema pobreza e a insegurança alimentar que os nigerianos sofrem são devidas à falta de vontade política e de previsão econômica em todos os níveis".
Campanha em andamento para ajudar os necessitados
O prelado lembrou então "dos muitos deslocados internos; dos mendigos que vivem nas ruas; dos jovens desempregados e com dificuldades; dos aposentados abandonados na miséria", assim como "dos ataques perpetrados por homens armados contra agricultores, dos quais recentemente foram tiradas terras e casas".
Por esta razão, o arcebispo lamentou "a falta de esforços sinceros" para enfrentar e superar as dificuldades do país e acrescentou que a situação atual "requer, da parte do povo de Deus, um maior apoio para os necessitados". Com esta visão, a Arquidiocese de Abuja lançou uma Campanha de Quaresma distribuindo pacotes com produtos de necessidade básica para os indigentes e lançando uma série de coletas, cujos lucros serão utilizados para ajudar os mais pobres.
Evitar o desperdício e promover o desenvolvimento agrícola
Por fim, Dom Kaigama lançou duas advertências: a primeira, para "evitar a cultura do desperdício de alimentos que acontece em vários setores por deixarem produtos agrícolas apodrecerem pela ausência de instalações adequadas de armazenamento". A segunda foi dirigida às autoridades de segurança nacional para "que enfrentem de modo sério esta questão, de modo a criar um ambiente favorável para a população e permitir o desenvolvimento da economia rural".
Fonte: Vatican news


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário