quarta-feira, 7 de abril de 2021

CARDEAL ODILO SCHERER: "O FATO DE NÃO TERMOS MISSAS PRESENCIAIS NÃO SIGNIFICA QUE NÃO VALORIZEMOS A EUCARISTIA"

Brasil ultrapassa 4.000 mortes em 24 horas por Covid-19
Cardeal Odilo Scherer

“Cumprir as medidas de saúde que estão sendo recomendadas. Agora com mais intensidade, porque a pandemia piorou, é muito grave, as autoridades sanitárias alertam que poderemos chegar a 5.000 mortes por dia no Brasil se não fizermos o que for necessário ”

“Estamos pensando na saúde da população e queremos que todos possam voltar à missa o mais rápido possível, participar da comunhão, rezar nas igrejas e cantar com alegria, mas vivos e não mortos, não no caixão"

“Devemos valorizar a saúde e a vida , nossa e de todos, não vamos colocar em risco a nossa vida, a nossa saúde”

O Brasil vive um momento de extrema gravidade em relação à pandemia Covid-19 , que tem feito com que o número diário de mortos seja superado. Em 6 de abril, um novo recorde foi estabelecido com 4.211 mortes em 24 horas , elevando o número total para 337.364.

Perante esta situação, o Cardeal Pedro Odilo Scherer , no programa “Encontro com o Pastor”, da Rádio 9 de Julho, reflectiu sobre esta realidade à luz da Oitava da Páscoa, “que continua a ser celebrada com solenidade e alegria ” . , Apesar da tristeza que supõe “ que as igrejas estão vazias e não é possível festejar com o povo ”. O purpurado recordou que «estão abertos e as pessoas podem fazer a sua visita e procurar a igreja para rezar pessoalmente e assim pelo menos encontrar paz e conforto, rezar intensamente pedindo a Deus pelos seus familiares, pelos enfermos, pelos defuntos e também pedir a melhoria que estamos experimentando ”.

Em sua reflexão, o Arcebispo de São Paulo insistia que “não devemos esquecer que a Páscoa nos traz essa esperança e essa certeza que professamos na fé, a vida é mais forte que a morte , o amor vence o ódio, Deus nos dá uma saída quando nós acho que não há mais saída. É por isso que continuamos a confiar e a fazer a nossa parte ”.
O vice-presidente do Celam pediu a todos “que cumpram as medidas de saúde que estão sendo recomendadas. Agora com mais intensidade, porque a pandemia piorou , é muito grave, as autoridades de saúde estão alertando que poderíamos chegar a 5 mil mortes por dia no Brasil se não fizermos o que for necessário ”. Por isso insistia que “vamos cuidar melhor , vamos cuidar bem, vamos usar máscaras, vamos evitar sair de casa quando não for necessário, vamos evitar reuniões , encontros com pessoas, vamos evitar a propagação do vírus , não dando chance. Ela se espalha com a gente, a gente transporta, um paciente que transmite, muitas vezes não sabe que está doente, mas já está transmitindo ”.

Diante da polêmica levantada por um dos ministros do Supremo Tribunal Federal, recentemente indicado pelo Bolsonaro, que no sábado, 3 de abril, suspendeu a proibição de abertura de igrejas em todo o país , o que vem sendo contestado por outros ministros da instituição, O cardeal Odilo Scherer, que continua a manter fechadas as igrejas da arquidiocese para as celebrações presenciais, afirmou que “ o fato de não termos missas presenciais não significa que não valorizemos a missa, que nós não valorize a Eucaristia . "

Desta forma, ele refutou a posição de grupos que exigem a participação face a face nas massas . A mesma situação que ocorreu em outros países se repete mais uma vez, inclusive no Brasil em outros momentos durante a pandemia. Esta posição, apoiada por alguns bispos, não se deve apenas a questões religiosas, mas também defende a posição do presidente Bolsonaro , que mesmo com mais de 4.000 mortes por dia é contrário a qualquer tipo de restrição de mobilidade.
En palabras del purpurado “estamos pensando en la salud de la población , y queremos que todos puedan volver a la misa cuanto antes, puedan participar de la comunión, puedan rezar en las iglesias y cantar con alegría, pero vivos y no muertos, no en o caixão". É por isso que apelou “para acompanhar as celebrações à distância , através dos media, rádio, televisão”, insistindo em “não brincar com o perigo”.

“É muito arriscado neste momento querer que todos vão à igreja , que todos participem da missa”, disse o arcebispo de São Paulo. É por isso que ele pediu aos fiéis que "orem em casa, orem muito, e se você quiser ir à igreja, vá individualmente , na igreja não deve haver multidões, não deve haver ocasiões de contágio". Suas palavras são consequência do fato de que “devemos valorizar a saúde e a vida , nossa e de todos, não vamos colocar em risco nossa vida, nossa saúde”.

https://www.religiondigital.org/luis_miguel_modino-_misionero_en_brasil/Cardenal-Odilo-Scherer-presenciales-Eucaristia_7_2329936989.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário