sexta-feira, 7 de maio de 2021

A SALVAÇÃO NOS CONVIDA PARA A DANÇA DO AMOR TRINITÁRIO

A pericorese representa a comunhão íntima, perfeita, sem nenhuma desordem ou interferência, marcada e compassada pelo amor entre as pessoas da Santíssima Trindade (Unsplash/Patrick Kool)

A dança do amor trinitário é a luz que silenciosamente guia os pés dos que percorrem caminhos em busca de comungar com o mundo


Sandra Sousa*

A arte da dança está presente na História como um potente meio de comunicação entre os seres humanos. As sociedades primitivas a retrataram nas pinturas rupestres em todos os continentes, e através dela, tantos povos da terra expressam nos mais diversos rituais, suas formas de entrar em contato com a divindade, festejar uma boa colheita, celebrar uma união amorosa, consolidar um ritual de passagem, acolher o nascimento de uma criança. Eles compreendem seu caráter sagrado e valorizaram o corpo como instrumento criativo onde é possível experimentar a entrega verdadeira e a liberdade sem limites que a dança proporciona.

Essa comunhão provocada por ela me faz sentir um misto de atração irresistível e contentamento, inexplicavelmente enraizados nas profundezas do meu ser. O ritmo da música ao envolver pouco a pouco o corpo em todas as suas dimensões, conduz a uma esfera divina para além desse realismo cotidiano, às vezes tão desprovido de encantamento, poesia, sensibilidade, alcançando de fato o céu, embora os pés continuem firmes, cravados no chão e sem nenhum esforço deixam-se embalar pela leveza.

Leia também:

É como se uma força maior entrasse pelos poros invadindo o espírito, despertando uma conexão que perpassa os tempos, liga gerações e histórias na mais genuína unidade. Todo esse movimento suscita a certeza de que tudo está interligado pelo amor trinitário presente desde a origem da criação, e por isso, move uma pericose dinâmica, vital, plena de energia, na qual "os três amantes eternos dançam conjuntamente com alegria inefável a eterna dança do próprio amor sem reserva, que aquece eternamente o coração do Pai ao Filho e ao Espírito Santo".

Desse modo, a pericorese representa a comunhão íntima, perfeita, sem nenhuma desordem ou interferência, marcada e compassada pelo amor entre as pessoas da Santíssima Trindade, manifestada numa dança maravilhosa e fundamentada como vínculo da unidade divina em permanente integração. "Deus é amor" (1Jo 4,8), ama e deseja compartilhar esse amor com a humanidade ferida. Ele não se isola em si mesmo, mas cria e se relaciona conosco, convidando-nos a entrar nessa dinâmica amorosa por meio da fé em Jesus Cristo.

Só assim, será possível superar o terrível mal-estar vivido em sociedade, onde sofrimento, descaso, indiferença e morte estão presentes de tal maneira, que torna difícil lidar com a sensação de abandono experimentada dia a dia. Crer verdadeiramente no Cristo ressuscitado nos ensina a trilhar o caminho do amor, da partilha e da fraternidade de um jeito novo, sendo esse o grande mistério da salvação, em cujo centro se encontra a dança harmoniosa da Trindade, permito-nos cavar fundo e chegar à raiz, descobrindo aí que há um espaço para cada um(a) de nós nesta roda da vida.

A Trindade amorosa não nos chama a vivermos a desigualdade, a separação, o orgulho, a vaidade ou o poder pessoal que se impõe. Pelo contrário, somos chamados a dançar essa dança mesmo em tempos difíceis impregnados da dor que nos quebra a esperança, desalinha nosso ser, desordena pensamentos e sentimentos. A única condição imposta é a fé incondicional que salva de todo e qualquer perigo de nos perdemos na escuridão. A dança do amor trinitário é a luz que silenciosamente guia os pés dos que percorrem caminhos em busca de comungar com o mundo.

A consequência de aceitar esse convite é uma maior possibilidade de experimentar relações mútuas, cheias de significações recíprocas, em que a linguagem facilita a escuta e o diálogo com a atualidade, no âmbito antropológico, social, ecológico, religioso e cultural. Assim, construir o Reino será sob as bases da liberdade e da comunhão, tendo como horizonte a dança trinitária, que permite uma maior integração e unidade entre todas as pessoas, por meio do amor.

Vem, lhe direi em segredo aonde leva esta dança.
Vê como as partículas do ar e os grãos de areia do deserto giram desnorteados.
Cada átomo feliz ou miserável, gira apaixonado em torno do sol.
(Rumi)

*Sandra Sousa, mestra em espiritualidade e professora.

Domtotal

Nenhum comentário:

Postar um comentário