sábado, 5 de junho de 2021

ECOLOGIA: UMA URGÊNCIA PARA A TEOLOGIA E PARA A PREGAÇÃO CRISTÃ

Deus é a fonte criadora da qual tudo provém (Unsplash/Calvin Craig)
Criação é tema fundamental da teologia, o que acaba por incluir a ecologia
Felipe Magalhães Francisco
Muitas religiões acreditam que o universo, e tudo o que nele contém, seja fruto de um ato criador. O judeu-cristianismo, que moldou a cultura ocidental, vê Deus como a fonte criadora da qual tudo provém. E mais: lê no desígnio criador de Deus, um ato livremente fundado no amor; um amor que se desdobra em alteridade. É certo que o cristianismo influenciou, e muito, uma visão que corroborou com uma supervalorização do ser humano, frente ao mundo. O mundo criado, dada uma leitura mais literal do texto bíblico do Gênesis, foi lido, muitas vezes, como lugar para a vida humana, em sentido último, e não como lugar da harmonia para o bem-viver em sentido orgânico. Ainda assim, o olhar teológico, portanto de fé, a respeito da criação, funda-se na compreensão de que se trata de um dom; um dom de amor.
O tema da ecologia é irrenunciável para o presente da humanidade. As mais diversas fontes de saber e de reflexão sobre a vida precisam contribuir para o surgimento de caminhos que transformem nossa relação com a natureza. À teologia, por sua vez, esse tema é incontornável, pois, segundo se crê, o tema da criação é fundamentalmente teológico. Aos discursos nascidos a partir da fé, urge a importância de uma contribuição efetiva para uma nova leitura da relação do ser humano com o mundo, pois isso diz respeito à mais fundamental vocação do ser humano à vida. Além disso, quando lançamos nosso olhar atento à sapiencialidade bíblica, temos a feliz oportunidade de compreender de modo profundo, aquilo que o livro do Gênesis ?" em sua linguagem própria ?" aborda acerca do ato criador de Deus, e do lugar do ser humano na relação com o mundo: uma vida sábia, isto é, bem-vivida, é aquela que encontra o justo lugar na relação entre todas as coisas criadas.
É muito importante que a teologia e as vivências de fé se coloquem na posição de escuta, daquilo que cientistas de outras áreas têm apontado para os danos causados pela sanha humana em sua relação com o mundo, e os riscos aos quais estamos todos, sobretudo as futuras gerações, estamos correndo. Do seu próprio lugar, o cristianismo tem um papel importante na formação da consciência de seus adeptos. Uma vez, pois, que sua fé é compreendida como voltada para o Deus que a tudo criou, o testemunho dessa fé no mundo precisa se efetivar como superação de uma relação utilitarista e desrespeitosa para com o planeta, para uma relação de comunhão e harmonia. Ouvir especialistas para, em seguida, qualificar ainda mais o discurso teológico, é um caminho urgente ao qual não podemos renunciar. Pastoralmente, o papa Francisco tem dado sinais muito importantes para o itinerário que o cristianismo católico precisa seguir, em sua relação com o mundo.
 O Dom Especial desta semana está comprometido com toda esta reflexão: a ecologia, vista numa perspectiva teológica, é fundamental para nosso tempo. O ponto de partida da reflexão é o artigo Ecologia: uma urgência para nossos tempos?, no qual Robert Dantas pauta seu olhar ecológico na dinâmica da ética humana. Junior Vasconcelos, no artigo Salmo 104: o esplendor do Espírito na criação, reflete sobre a pneumatologia e sua relação com a criação, elemento bíblico importante que muitas vezes não é bem explicitado na pregação cristã. Por fim, concluindo a reflexão, numa perspectiva da cristologia cósmica, tema candente para a teologia contemporânea, temos o artigo A Criação: "carne" de Cristo, de Sinivaldo Tavares, que traz o tema da encarnação, com ênfase ecológica.

 Fonte:domtotal.com


 

Um comentário:

  1. A ênfase da evangelização não deve ser a ecologia e sim a salvação dos homens!!!

    ResponderExcluir