segunda-feira, 26 de julho de 2021

A EUCARISTIA NÃO É REFÚGIO RELIGIOSO AOS PROBLEMAS DO MUNDO

Toda a Eucaristia está orientada para criar fraternidade (Unsplash/Mateus Campos Felipe)

Reflexão sobre a liturgia do 17º Domingo Comum, Jo 6,1-15

José Antonio Pagola*

Todos nós, cristãos, sabemos disso. A Eucaristia dominical pode facilmente converter-se num "refúgio religioso" que nos protege da vida conflitiva em que nos movemos ao longo da semana. É tentador ir à missa para partilhar uma experiência religiosa que nos permite descansar dos problemas, tensões e más notícias que nos pressionam de todos os lados.

Às vezes somos sensíveis ao que afeta a dignidade da celebração, mas preocupa-nos menos esquecer as exigências que envolve celebrar a Ceia do Senhor. Incomoda-nos que um padre não cumpra estritamente a norma ritual, mas podemos continuar a celebrar a missa rotineiramente sem ouvir os apelos do evangelho.

O risco é sempre o mesmo: comungar com Cristo no íntimo do coração sem nos preocuparmos em comungar com os irmãos que sofrem. Partilhar o pão da Eucaristia e ignorar a fome de milhões de irmãos privados de pão, de justiça e de futuro.

Nos próximos anos, os efeitos da crise irão agravar-se muito mais do que temíamos. A cascata de medidas que são ditadas de maneira inapelável e implacável irá fazer crescer entre nós uma desigualdade injusta. Veremos como pessoas do nosso ambiente próximo se vão empobrecendo até ficarem à mercê de um futuro incerto e imprevisível.

Conheceremos de perto imigrantes, privados de assistência sanitária, doentes sem saber como resolver os seus problemas de saúde ou medicação, famílias obrigadas a viver da caridade, pessoas ameaçadas de despejo, gente sem assistência, jovens sem um futuro claro.... Não o poderemos evitar. Ou endurecemos os nossos hábitos egoístas de sempre ou nos tornamos mais solidários.

A celebração da Eucaristia no meio desta sociedade em crise pode ser um local de consciencialização. Necessitamos nos libertar de uma cultura individualista que nos habituou a viver pensando somente nos nossos próprios interesses, para aprender com simplicidade a ser mais humanos. Toda a Eucaristia está orientada para criar fraternidade.

Não é normal ouvir todos os domingos ao longo do ano o evangelho de Jesus sem reagir às suas chamadas. Não podemos pedir ao Pai "o pão nosso de cada dia" sem pensar naqueles que têm dificuldades para o obter. Não podemos comungar com Jesus sem nos tornarmos mais generosos e solidários. Não podemos dar paz uns aos outros sem estarmos dispostos a estender a mão àqueles que estão mais sozinhos e indefesos perante a crise.

Publicado por IHU

*José Antonio Pagola é padre e tem dedicado a sua vida aos estudos bíblicos, nomeadamente à investigação sobre o Jesus histórico. Nascido em 1937, é licenciado em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma (1962), licenciado em Sagradas Escrituras pelo Instituto Bíblico de Roma (1965), e diplomado em Ciências Bíblicas pela École Biblique de Jerusalém (1966). Professor no seminário de San Sebastián (Espanha) e na Faculdade de Teologia do Norte de Espanha (sede de Vitória), foi também reitor do seminário diocesano de San Sebastián e vigário-geral da diocese de San Sebastián. 

Domtotal

Nenhum comentário:

Postar um comentário