quarta-feira, 21 de julho de 2021

FUNDÃO ELEITORAL DE R$ 5,7 BI É 'AFRONTA AO POVO BRASILEIRO', DIZ DOM WALMOR

Presidente da CNBB critica fundo bilionário aprovado pelo Congresso para as eleições 2022. Para dom Walmor Oliveira de Azevedo aumento é descabido e antiético
"Tudo isso é também uma afronta à Democracia", diz dom Walmor sobre fundão eleitoral (Marcos Figueiredo/Arquidiocese de BH)

Thiago Ventura

O arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, fez fortes críticas ao fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões aprovado pelo Congresso Nacional na semana passada. Para o prelado, o aumento é descabido e antiético.

"Em tempos de pandemia e fome, além de ser uma afronta ao povo brasileiro, quando serviços essenciais fornecidos, não colabora em nada para o resgate da 'política melhor'", diz dom Walmor.

O arcebispo referiu-se à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada a toque de caixa em sessão do Congresso na última quinta-feira (15). Os parlamentares alteraram o texto e fizeram um novo cálculo pode mais do que dobrar a verba do fundo eleitoral para R$ 5,7 bilhões, ante os R$ 2 bilhões de 2020, quando foram eleitos prefeitos e vereadores. Em 2018, o valor foi R$ 1.8 bilhão.

"Tudo isso é também uma afronta à Democracia, pois o sistema democrático exige o compromisso do Estado com sua sustentabilidade", critica o presidente da CNBB.

A proposta foi elaborada pelo Centrão, integrante da base do governo do presidente Jair Bolsonaro, e por outras legendas representadas na Câmara e no Senado. Somente cinco partidos orientaram contra a proposta, mas a ampla maioria dos deputados e senadores votou a favor do aumento. Confira como votou a bancada mineira, inclusive políticos que atuam com base católica.

A LDO segue para sanção presidencial. O presidente indica que deve vetar esse ponto. Mas os parlamentares incluíram o dispositivo prevendo já essa hipótese, mas afirmam nos bastidores que vão negociar com o governo para garantir o aumento.


Confira na íntegra o pronunciamento de dom Walmor Oliveira de Azevedo:


"É descabido e antiético o aumento do "Fundo Eleitoral" para 2022, valor de R $ 5,7 bilhões, aprovado recentemente pelo Congresso Nacional. Em tempos de pandemia e fome, além de ser uma afronta ao povo brasileiro, quando serviços essenciais fornecidos, não colabora em nada para o resgate da "política melhor", impondo mudanças profundas na legislação eleitoral sem um debate amplo e participação da sociedade. Tudo isso é também uma afronta à Democracia, pois o sistema democrático exige o compromisso do Estado com sua sustentabilidade". 

Domtotal

Nenhum comentário:

Postar um comentário