segunda-feira, 16 de agosto de 2021

COVID-19: BANGLADESH CHORA A MORTE DO PADRE BERUTTI, UMA VIDA DEDICADA AOS POBRES


Padre Giulio Berruti, missionário do Pime, faleceu de Covid-19 aos 77 anos

O missionário do PIME, fundador dos bancos dos pobres, faleceu no dia 10 de agosto devido a complicações causadas pelo coronavírus. Por quase 50 anos em Bangladesh, ele se dedicou às camadas mais frágeis da população e, com o microcrédito, ajudou os marginalizados a se libertarem da pobreza. Padre Brambilla assim recordou dele: nos ensinou a olhar de forma concreta para os excluídos.

Giancarlo La Vella - Cidade do Vaticano

A vida de padre Giulio Berruti é um daqueles grandes pequenos milagres por meio dos quais muitos puderam mudar de vida. O sacerdote faleceu aos 77 anos em Daca, capital Bangladesh, por complicações causadas pela Covid-19.

O missionário chegou ao país asiático em 1972, logo após a guerra de independência do Paquistão, que causou dor e carestia na população. Ainda hoje, Bangladesh é um dos países mais pobres do mundo. Padre Giulio foi enviado a esta terra de missão para expressar a caridade, a partilha e o amor pelos mais necessitados.

Foram milhões as famílias, arrancadas da usura, que encontraram a esperança de uma existência melhor graças à sua iniciativa de microcrédito, com a qual puderam iniciar pequenas iniciativas econômicas e produtivas.

Os chamados bancos dos pobres – declarou à Rádio Vaticano o padre Michele Brambilla, Superior regional do PIME em Bangladesh - permitiram que muitos, por meio de pequenos empréstimos, comprassem pequenas terras, iniciassem a produção de arroz, trabalhassem no conserto de bicicletas, meios de locomoção em Bangladesh e muito mais.
Tratamentos gratuitos para todos

Outra iniciativa louvável do padre Berutti, recorda o Padre Brambilla, é a do seguro saúde. Com pouco dinheiro, equivalente a cerca de três euros por ano, os mais pobres podiam ter, e ainda hoje têm, acesso quase gratuito aos cuidados médicos no hospital diocesano. Graças à iniciativa do missionário, o hospital tornou-se também um centro de estudos para médicos e enfermeiras, com cursos de formação para jovens locais iniciados nas profissões médicas. Essas são iniciativas destinadas principalmente a grupos tribais que geralmente são relegados à margem da sociedade bengali.
Um legado importante a ser continuado

O padre Berutti, recorda Brambilla, passou a vida cuidando dos pobres. Este princípio foi o centro de sua pregação e de sua atividade concreta, uma caridade levada em frente com pequenos e grandes gestos, como por exemplo estudar matemática em bengali e depois explicá-la aos alunos das escolas locais.

Tenacidade e perseverança, conclui o Superior regional do PIME, recordando os ensinamentos do padre Berutti, devem estar sempre ao serviço dos menos favorecidos. Deve-se estar próximo dos pobres não apenas com palavras, mas com atos tangíveis, que desencadeiam um processo virtuoso de melhoria social. 

Vatican News 

Nenhum comentário:

Postar um comentário