quinta-feira, 19 de agosto de 2021

PADRE JULIO LANCELLOTTI VENCE PRÊMIO ZILDA ARNS DE DIREITOS HUMANOS

O prêmio da Câmara dos Deputados foi criado em 2017 para reconhecer pessoas e instituições que trabalham ativamente em defesa dos direitos das pessoas idosas.
O padre Julio Lancellotti, da pastoral do Povo de Rua de São Paulo. — Foto: Reprodução/Youtube

O padre Julio Lancellotti, da pastoral do Povo da Rua de São Paulo, foi um dos escolhidos para ser premiado com o Zilda Arns, de Direitos Humanos de 2021, da Câmara dos Deputados. O padre Julio foi indicado pelo deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) e por meio de abaixo-assinado da população.

O prêmio consiste em um diploma de menção honrosa, concedido anualmente a até cinco homenageados. Nas redes sociais, o padre Julio agradeceu e postou uma ilustração "Justo vencedor do prêmio Zilda Arns de Direitos Humanos" .

O nome é em homenagem Dra. Zilda Arns Neumann, médica pediatra que atuou em causas humanitárias e sanitaristas, uma das fundadoras da Pastoral da Criança.

O prêmio da Câmara dos Deputados foi criado em 2017, como forma de reconhecer pessoas e instituições que trabalham ativamente em defesa dos direitos das pessoas idosas.

O padre Julio atua na Pastoral do Povo da Rua em defesa dos direitos, principalmente da população de rua. Entre as ações, em fevereiro, ele participou de uma ação que colocou flores no lugar de paralelepípedos instalados pela gestão do então prefeito Bruno Covas (PSDB) na parte inferior de viadutos na Zona Leste da capital.

O padre distribui comida para a população da Cracolândia, no Centro de São Paulo. A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) fez publicações nas redes sociais criticando o padre por distribuir comida às pessoas em situação de rua na região, insinuando que isso aumentaria a criminalidade.

O padre respondeu dizendo que "objetivo principal não é distribuir comida, mas é ser alimento, força e esperança para aqueles que estão esquecidos, marginalizados, descartados, excluídos. Sejamos irmãos de todos. Não neguemos nem o pão, nem o coração para ninguém”.

O prêmio será entregue na semana do dia 1º de outubro, no Dia Nacional e Internacional da Pessoa Idosa, instituído pela Organização das Nações Unidas.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário