quarta-feira, 18 de agosto de 2021

"VIVO COM MEDO DE PENSAR QUE, SE FIZER ISSO, IREI PARA O INFERNO, OU DE SABER QUE SOU JUSTIFICADO POR JESUS CRISTO?"


Francisco reflete sobre o papel da lei na Audiência desta quarta-feira

O Papa saúda os fiéis na Sala Paulo VI

“Será bom nos perguntarmos se ainda vivemos na época em que precisamos da Lei, ou se, em vez disso, estamos bem cientes de termos recebido a graça de nos tornarmos filhos de Deus para viver no amor”

“Uma vez alcançada a fé, a Lei esgota seu valor propedêutico e deve ceder lugar a outra autoridade”

“Este ensino sobre o valor da lei é muito importante e merece ser considerado com atenção para não cometer erros e dar passos em falso”

18.08.2021 Jesus bonito

“Como eu vivo? Com ​​o medo de pensar que se eu fizer isso irei para o Inferno, ou com a esperança da salvação de Jesus Cristo, sabendo que quem me justifica é Jesus Cristo? ”, Bergoglio se perguntou durante seu verão catequese da sala de aula Paulo VI, neste estranho ferragosto romano sem passaporte verde nas audiências em geral. Nesta ocasião, questionando-se sobre o verdadeiro sentido da lei, passando de São Paulo a Jesus.

“Desprezo os mandamentos? Não. Eu os observo, mas não como absolutos, porque sei que
quem me justifica é Jesus Cristo”, acrescentou. «Será bom nos perguntarmos se ainda vivemos no tempo em que precisamos da Lei, ou se, pelo contrário, temos a consciência de termos recebido a graça de nos tornarmos filhos de Deus para viver no amor», disse o Papa.

“São Paulo ensinou-nos que os« filhos da promessa », pela fé em Jesus Cristo, não estão sob o vínculo da Lei, mas chamados a um estilo de vida árduo na liberdade do Evangelho. Mas a lei existe ”, disse Bergoglio, que se perguntou“ qual é o papel da lei? ”.

Antes e depois do encontro com Jesus

«O apóstolo parece sugerir que os cristãos dividem a história da salvação, e também a sua história pessoal, em dois momentos: antes de se tornarem crentes e depois de receberem a fé», sublinhou o Papa. Portanto, "a partir da fé em Cristo há um" antes "e um" depois "com respeito à mesma Lei", de acordo com Paulo.
Francisco saúda os fiéis na Sala Paulo VI

“ O apóstolo deixa isso explícito ao dizer que quando alguém está 'sob a lei' está como 'guardado' ou 'fechado' , uma espécie de custódia preventiva”, disse Bergoglio. Na Carta aos Romanos, Saulo sistematiza essa relação entre a lei e o pecado: "Em suma, a Lei leva a definir a transgressão e a conscientizar as pessoas sobre o próprio pecado" .

Nesse contexto, a referência ao papel pedagógico desenvolvido pela Lei adquire seu sentido pleno . “No antigo sistema escolar”, destacou o Papa, “o pedagogo não tinha a função que hoje lhe atribuímos, ou seja, apoiar a educação de um menino ou de uma menina. Naquela época se tratava de um escravo que se encarregava de acompanhar o filho do senhor quando este fosse até o senhor e depois acompanhá-lo de volta para casa. Dessa forma, ele tinha que protegê-lo dos perigos e vigiá-lo para que não se envolvesse em comportamentos inadequados. Sua função era bastante disciplinar. Quando o jovem se tornou adulto, o pedagogo cessou suas funções ”.
Fiéis aplaudem o Papa em Paulo VI

Educar, disciplinar, sustentar

Por isso, São Paulo destaca que “a Torá foi um ato de magnanimidade da parte de Deus para com o seu povo. Certamente teve funções restritivas, mas ao mesmo tempo protegeu o seu povo, educou, disciplinou e sustentou na sua fraqueza ” .

Em suma, a convicção do apóstolo é que a Lei certamente tem sua função positiva, mas limitada no tempo. A sua duração não pode ser prolongada para além de qualquer medida, porque está ligada ao amadurecimento das pessoas e à sua escolha de liberdade. Uma vez alcançada a fé, a Lei esgota seu valor propedêutico e deve ceder lugar a outra autoridade ”, indicou o Santo Padre.

“Esse ensinamento sobre o valor da lei é muito importante e merece ser considerado com cuidado para não cometer erros e dar passos em falso”, concluiu Bergoglio. “Será bom nos perguntarmos se ainda vivemos no tempo em que precisamos da Lei, ou se, em vez disso, estamos cientes de termos recebido a graça de nos tornarmos filhos de Deus para viver no amor”.
Intervenção do Papa Francisco

Saudações do Papa em espanhol:

Queridos irmãos e irmãs:

Hoje São Paulo nos ajuda a responder à seguinte pergunta: "Qual é o papel da Lei?" Na sua resposta, considera que existem dois tempos na História da Salvação e na história de cada um. Num primeiro período éramos como crianças, éramos dominados pelas paixões, pela fraqueza da carne e, portanto, precisando de um guia, alguém que nos levasse e nos conduzisse, e nos impedisse de nos metermos em problemas. Esse era o papel da Lei e sua bondade. Mas São Paulo acrescenta que a Lei, além de nos sustentar nessa luta, também revela nossa submissão.

Em um segundo período, Jesus nos libertou do pecado e da morte com sua morte e ressurreição, e a Lei pode dar lugar à liberdade dos filhos de Deus, uma vez que não estamos mais sujeitos a ela. No entanto, isso implica um estilo de vida comprometido, no qual tomemos consciência da graça de sermos filhos de Deus, de vivermos no amor de forma adulta.

Saúdo cordialmente os fiéis de língua espanhola. Encorajo-vos a permitir-vos ser desafiados por esta questão que São Paulo nos colocou: Ainda estamos sob a Lei ou já atingimos a maturidade para abraçar Jesus com convicção e o projeto de amor que o Pai reserva a cada um de nós nós? Que Deus os abençoe. Muito obrigado.
Um padre, uma mãe e seu filho cumprimentam o Papa 

Religión Digital

Nenhum comentário:

Postar um comentário