quarta-feira, 13 de outubro de 2021

PREÇOS MUNDIAIS DOS ALIMENTOS VOLTARAM A SUBIR EM SETEMBRO, AFIRMA FAO

Um fazendeiro ara campo de trigo no interior da cidade de Qamishli, no nordeste da Síria, em 18 de setembro de 2021 (Delil SOULEIMAN/AFP)
Indicador que mede a variação mensal dos preços internacionais da cesta básica continua se aproximando de seu nível máximo
Os preços mundiais dos alimentos voltaram a subir em setembro, "devido à restrição da oferta e à forte demanda" por alimentos básicos, como trigo e óleo de palma - anunciou a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Agricultura (FAO), na última quinta-feira (7).
O Índice de Preços dos Alimentos da FAO aumentou 1,2% em relação a agosto, chegando a 130 pontos, e 32,8%, em um ano.
O indicador, que mede a variação mensal dos preços internacionais da cesta básica, continua se aproximando de seu nível máximo (137,6 pontos), registrado em fevereiro de 2011.
Em setembro, o preço global dos cereais aumentou 2% em comparação com o mês anterior. O preço mundial do trigo, por exemplo, subiu 4% em um mês, e 41%, em um ano. O preço do arroz também aumentou. No caso do milho, o aumento foi moderado, de 0,3% em um mês (+38% em um ano).
"A melhora das perspectivas das safras mundiais e o início das colheitas americana e ucraniana compensaram, amplamente, o impacto das perturbações portuárias relacionadas aos furacões nos Estados Unidos", explicou a FAO.
"Entre os cereais, o trigo estará no centro das atenções nas próximas semanas, já que a demanda deve ser posta à prova ante o rápido aumento dos preços", afirma o economista-chefe da FAO, Abdolreza Abbassian, citado no comunicado.
A FAO prevê uma produção de cereais sem precedentes em 2021, mas sempre inferior às necessidades de consumo.
Em relação aos óleos vegetais, o preço mundial aumentou 1,7% em um mês (+60% em um ano). O óleo de palma alcançou "um teto em dez anos, devido à forte demanda mundial e à escassez de mão de obra migrante que afeta a produção na Malásia", completou a organização.

AFP

 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário