domingo, 13 de fevereiro de 2022

BURKINA FASO: TEMOR APÓS ATAQUE JIHADISTA A SEMINÁRIO MENOR


Campo de refugiados Malian, norte de Burkina Faso (AFP or licensors)

Felizmente não houve vítimas, mas os terroristas ameaçaram voltar e, caso encontrassem algum seminarista, seria morto. O ataque gerou temor na população local. Muitos fugiram em busca de um local mais seguro. Em 20221, os países africanos tiveram o aumento mais significativo de deslocados internos, enquanto a Síria é o país de onde fugiu o maior número de pessoas.


Vatican News

A Ajuda à Igreja que Sofre recebeu a triste notícia de que o Seminário Menor São Kisito de Boughi, na Diocese de Fada N'Gourma, Burkina Faso Oriental, localizado a cerca de dez quilômetros de Fada N'Gourma, foi atacado por homens armados não identificados na noite de 10 para 11 de fevereiro. Não houve perdas de vidas humanas, mas grandes danos materiais.

LEIA TAMBÉM
12/10/2021

A Fundação de direito pontifício foi informada por parceiros locais que cerca de 30 jihadistas chegaram de moto por volta das 20 horas locais. Eles ficaram no seminário por cerca de uma hora, período em que queimaram dois dormitórios, uma sala de aula, e um veículo. Outro foi roubado. Eles também destruíram o crucifixo, dizendo que não queriam ver cruzes. Deram um ultimato aos seminaristas, dizendo para irem embora e ameaçaram: caso encontrassem alguém no local ao retornarem, seria morto. Havia 146 seminaristas e 7 formadores no Seminário Menor.

Os seminaristas estão agora com suas famílias, ao menos por uma semana, esperando o desdobramento dos fatos. As pessoas do povoado onde está o seminário estão com medo e muitos fugiram.

A Ajuda à Igreja que Sofre pede orações por todos os seminaristas, formadores e pela população de Burkina Faso. 

Vatican News 

Nenhum comentário:

Postar um comentário