sábado, 28 de maio de 2022

IGREJA ORTODOXA UCRANIANA ROMPE COM O PATRIARCADO DE MOSCOVO PELO SEU APOIO À GUERRA DE PUTIN

Eles acusam Kirill de "ser um dos ideólogos" do presidente russo.
El Consejo de Iglesias ortodoxas de Ucrania

"Exprimimos o nosso desacordo com a posição do patriarca de Moscovo Kiril sobre a guerra na Ucrânia", diz a declaração pendurada no site da UPTS

Por esta razão, o Conselho da UPTS tomou hoje a decisão de declarar "a total autonomia e a independência da Igreja Ortodoxa ucraniana"

A Igreja Ortodoxa ucraniana (UPTS) anunciou a sua ruptura com o Patriarca de Moscovo devido seu apoio aberto à "operação militar especial" russa na Ucrânia.

"Exprimimos o nosso desacordo com a posição do patriarca de Moscovo Kiril sobre a guerra na Ucrânia", diz a declaração pendurada no site da UPTS.

Por essa razão, o Conselho da UPTS tomou hoje a decisão de declarar "o Conselho de Estado". plena autonomia e independência da Igreja Ortodoxa ucraniana".

"O concisio apela às autoridades da Ucrânia e da Rússia para que prossiguem o processo de negociação e a busca de uma palavra forte e sensata que pode parar o derramamento de sangue", acrescenta.
Una mujer se refugia en el crucifijo ortodoxo

Ucraniano, "o anti-cristão"

Kiril, que mantém uma relação estreita com o Kremlin, apelou aos russos em suas homilias para fechar as fileiras com o Kremlin e o Exército Russo em sua guerra santa com a "Anticriística", ou seja, o governo ucraniano e os seus patrocinadores ocidentais.

Muitas das dioceses ucranianas que ainda dependem do Patriarcado de Moscovo deixaram de mencionar Kiril em seus sermão em um sinal claro de repulsão.

O patriarca russo foi o que... promoveu a ideia do "Mundo Russo", que onde o russo é falado e a fé é ortodoxo, independentemente das fronteiras internacionalmente reconhecidas, é uma área de influência de Moscovo, cuja missão mesiânica é defender os russos e os seus valores tradicionais.
Vladimir Putin y patriarca Kirill

A UPTS também deu hoje uma mão à Igreja Ortodoxa ucraniana (PTSU), criada em 2018 por Kiev depois de ter recebido apoio do Patriarca de Constantinopla, um inimigo de Moscovo.

Ele exortou o diálogo para restabelecer a unidade dos ortodoxos ucranianos, renunciando à transferência forçada de paróquias para a PTSU.

Verdadeiro aos ditadores do Kremlin

Desta forma, o Patriarca de Moscovo perde um dos seus principais territórios, a Ucrânia, onde a maioria dos fiéis são ortodoxos, embora haja também vários milhões de católicos pertencentes à Igreja Uniata.

A estreita dependência da Igreja Ortodoxa Russa do Kremlin dita progressivamente empurrou o ortodoxo ucraniano do Patriarca de Moscovo.

"O patriarca tomou pessoalmente a decisão de ser um dos ideólogos do sistema político criado pelo presidente russo Seeing PutinEle tornou-se um dos seus principais aliados ao ponto de justificar a guerra na Ucrânia", comentou recentemente a Efe o teólogo Sergei Chapnin, que trabalhou durante 15 anos para o Patriarcado de Moscovo. 

Religión Digital 

Nenhum comentário:

Postar um comentário