domingo, 5 de junho de 2022

MASSACRE EM UMA IGREJA CATÓLICA NA NIGÉRIA, A DOR DO PAPA

Exercito Nigeriano ( AFP or licensors)

Homens armados invadiram a Igreja de São Francisco Xavier em Owo, Estado de Ondo, atirando contra os fiéis que estavam celebrando a Solenidade de Pentecostes. Muitas as vítimas, incluindo várias crianças. Francisco expressa a sua proximidade às famílias dos mortos e dos feridos. Presidente Buhari: "O país nunca se renderá ao mal".
Salvatore Cernuzio, Silvonei José – Vatican News
Pentecostes sangrento na Nigéria, onde homens armados com fujis atiraram contra fiéis dentro de uma igreja católica no Sudoeste do país, causando a morte de várias pessoas, incluindo muitas crianças, que estavam celebrando a Solenidade. De acordo com uma reconstrução inicial, o comando teria usado explosivos. O ataque teve lugar na Igreja de São Francisco Xavier em Owo, Estado de Ondo, até então um dos mais pacíficos.
As condolências do Papa
À dor geral, "enquanto os detalhes do incidente estão sendo esclarecidos", se uniu também o Papa, como foi informado pelo Sala de Imprensa da Santa Sé. "O Papa Francisco reza pelas vítimas e pelo país, dolorosamente atingido num momento de festa, e confia ambos ao Senhor, para que envie o Seu Espírito para que os console", refere o porta-voz Matteo Bruni.
Mais de 40 vítimas, temor pelos feridos
De acordo com fontes locais, as vítimas seriam mais de quarenta. O medo agora é pelos sobreviventes que, embora imediatamente socorridos e transportados para o hospital, correm o risco de não sobreviverem devido aos ferimentos sofridos, considerando também a escassez de meios sanitários. Os médicos locais, citados por agências internacionais, relatam que muitos chegaram ao hospital já sem vida. Os apelos à doação de sangue também circulam nestas horas, especialmente através das redes sociais.
O bispo apela à calma
No choque geral, o temor é "que haja muitos mais mortos, muitos mais feridos, e que a Igreja tenha sido violada", disse o padre Augustine Ikwu, diretor das comunicações sociais da diocese, numa declaração, negando as notícias que circularam nos primeiros minutos do sequestro de alguns fiéis, incluindo o pároco. Os padres estão a salvo", explicou, "e o bispo da diocese também está com eles neste momento difícil". É precisamente o bispo que pede neste momento de terror "para manter a calma, respeitar a lei, e de rezar pelo retorno da paz e da normalidade" na comunidade e em todo o país.
Em oração pelas vítimas e pelas famílias
"A identidade dos agressores permanece desconhecida, enquanto a situação deixou a comunidade devastada. No entanto, por enquanto, agentes de segurança foram destacados por toda a comunidade para administrar a situação", informa ainda o padre Ikwu. Invoca, então "a intervenção de Deus" para restaurar "a paz e a tranquilidade" no país. "Dirigimo-nos a Deus para consolar as famílias daqueles que perderam a vida neste ataque angustiante e rezamos para que as almas falecidas descansem em paz".
A condenação do presidente
Entretanto, condenação ao ataque chegou da parte do presidente nigeriano Muhammadu Buhari. Numa declaração emitida pelo seu porta-voz, Femi Adesina, Buhari afirma que espera que os agressores sofram uma dor eterna tanto na terra como após a morte. Expressando condolências às famílias das vítimas e à Igreja Católica, o chefe de Estado deu instruções às agências de emergência para entrarem em ação e prestarem socorro aos feridos. "Este país", lê-se na declaração do presidente, "nunca se renderá ao mal e aos ímpios, e as trevas nunca vencerão a luz".
Fonte: Vatican News


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário